MONITORAMENTO DERMATOSCÓPICO

O monitoramento dermatoscópico é, conjugado com outras técnicas, uma das ferramentas mais indicadas para o diagnóstico precoce do câncer de pele. Estudos mostram que cerca de 10% dos melanomas, o tipo de câncer de pele mais perigoso, são diagnosticados por este método. Além disso, foi demonstrado que o monitoramento dermatoscópico evita cirurgias desnecessárias em cerca de 50% dos casos.

A diferenciação entre um melanoma superficial (inicial) e uma pinta atípica é um dos maiores desafios do dermatologista, mesmo com o uso do dermatoscópio no exame clínico, principalmente em pacientes com múltiplas pintas. O monitoramento dermatoscópico consiste na utilização de imagens sequenciais dermatoscópicas de uma pinta para avaliação desta lesão em um período de tempo. É um método diagnóstico que possibilita maior acurácia principalmente para o diagnóstico de um melanoma inicial.

O que esperar do exame

Na primeira consulta, durante o exame clínico dermatoscópico inicial, uma pinta suspeita poderá ser identificada e o paciente receberá a orientação da necessidade do monitoramento dermatoscópico desta lesão. Fotografias da área e da dermatoscopia da pinta serão realizadas e o paciente deverá voltar para uma nova avaliação em 3, 6 ou 12 meses, conforme a indicação para cada caso.

Neste segundo momento, novas fotos da mesma pinta serão realizadas e comparadas com as imagens iniciais. Serão consideradas nesta avaliação alterações de tamanho, forma, cor, assimetria ou de estruturas na lesão. Qualquer alteração neste período de tempo é considerada suspeita e a lesão deverá ser removida.

Portanto, o monitoramento dermatocópico é um método diagnóstico que permite uma avaliação mais detalhada da pinta suspeita, aumentando a acurácia no diagnóstico do melanoma quando este ainda não é identificável a olho nú ou mesmo na avaliação dermatoscópica isolada.

Referência
Kittler H, Binder M. Risks and benefits of sequential imaging of melanocytic skin lesions in patients with multiple atypical nevi. Archives of dermatology 2001;137:1590-5.

MAPEAMENTO FOTOGRÁFICO CORPORAL

O Mapeamento Fotográfico é o método diagnóstico que utiliza fotografias de toda pele que são comparadas sequencialmente com o paciente em cada consulta clínica.

É indicado para pacientes com múltiplas pintas e/ou com antecedente pessoal ou familiar de melanoma. Comprovou-se ser um método muito importante já que a grande maioria dos melanomas surge de lesões novas. Isto significa que as fotos permitem o médico verificar qualquer lesão nova no paciente ou detectar uma lesão que esteja crescendo e, portanto, considerá-la suspeita.

O que esperar do exame

Uma sessão típica de Mapeamento Fotográfico Corporal leva cerca de 1 hora. Por ser necessário que você retire toda a sua roupa, o paciente tem a liberdade para trazer um membro da família ou amigo para acompanhar o processo realizado pela Dra. Lílian Licarião e sua equipe. A confidencialidade das suas imagens é mantida com seriedade. Este exame pode parecer estranho e causar desconforto a algumas pessoas, mas na verdade, ele deve lhe trazer tranquilidade por saber quer você tomou um passo importante para garantir sua saúde e bem estar!

Suas imagens

Você receberá uma cópia eletrônica das suas imagens, assim como instruções para o bom uso delas. Sua coleção portátil de imagens permite a você ver suas fotos no conforto da sua casa. A visualização das imagens é feita pelo software FotoFinder® para garantir a qualidade das imagens, com opção de visualizá-las de forma ampliada e observar melhor as áreas de interesse. O Mapeamento Fotográfico Corporal é normalmente um investimento que você fará uma única vez, que pode ou não ser coberto pelo seu plano de saúde. Você só precisará repetir este procedimento caso seu corpo sofra mudanças significativas, como atingir a idade adulta, passar por uma gestação ou se você desenvolver novas pintas.

A aparência das suas pintas pode ser comparada com base no seu Mapeamento Fotográfico Corporal durante seu auto-exame mensal e nas suas consultas de acompanhamento. Se você notar alguma alteração, você pode comunicar diretamente à nossa equipe médica. Essa forma de triagem pode revelar mudanças sutis nas lesões do corpo o que pode ser um indicativo do melanoma no seu estágio mais inicial e curável. O Mapeamento Fotográfico Corporal também pode evitar remoções desnecessárias de pintas que não mudaram significativamente em relação às suas fotos iniciais.

O Mapeamento Fotográfico Corporal é um exame consagrado na literatura médica para pacientes com risco aumentado para o melanoma, permitindo o diagnóstico precoce deste câncer e, assim, interferindo na melhora da qualidade de vida e sobrevida destes pacientes.

MICROSCOPIA CONFOCAL DE REFLECTÂNCIA

A Microscopia Confocal de Reflectância é uma nova ferramenta no diagnóstico de melanoma e tumores de pele. Ela permite que seja feita uma biópsia “ótica”, completamente não invasiva e sem dor, podendo evitar a biópsia cirúrgica no estágio de diagnóstico.

Ela usa um laser de baixa potência e ótica especial que consegue ampliar células vivas aproximadamente 1.000 vezes. Funciona como uma extensão da Dermatoscopia, pois oferece detalhes da célula que os nossos olhos não conseguem ver.

Este método é usado mundialmente para avaliar lesões de difíceis de serem diagnosticadas e tem demonstrado ser superior ao exame clínico padrão para detectar tumores de pele.

O Microscópio Confocal de Reflectância pode detectar uma série de tumores e pele, incluindo melanoma, carcinoma basocelular e queratose actínica. Mais de 150 artigos já foram publicados nas principais revistas científicas especializadas sobre a sua aplicação na dermatologia.